Buscar
  • Família Bloom

FAQ: saúde e bem-estar das crianças na quarentena

Atualizado: Mai 4



Quais as suas grandes preocupações em tempos de Covid-19? A saúde dos seus filhos certamente é uma delas. Por isso, convidamos o Dr. Daniel Becker, referência em pediatria e parte da Rede Bloom, para responder às principais dúvidas que chegam à nossa equipe por meio das nossas redes sociais.


Becker é criador de programas de saúde nacional e internacionalmente reconhecidos, colaborador do UNICEF e da Organização Mundial da Saúde (OMS), consultor de fundações e empresas e pioneiro na pediatria integral no Brasil.


Veja também:

Como tornar o trabalho remoto praticável na quarentena, com Paula Braga

O comportamento das crianças na quarentena, com Denise Mazzuchelli

Como cuidar de si na quarentena, com Júlia Jalbut


Quais os riscos de Covid-19 em bebês ou crianças de até 2 anos?


Os casos registrados no mundo até aqui têm mostrado que o risco de Covid-19 em bebês ou crianças é muito baixo, existem pouquissímos casos graves nesta faixa etária. O melhor é não se preocupar com o risco de Covid-19 e sim em tratar a gripe de forma habitual, principalmente por conta da gripe causada pelo vírus da influenza (H1N1), que em crianças tem risco maior de complicações.


Então qualquer criança de até 2 anos com quadro gripal grave deve ser levada para atendimento médico para ser examinada e até o segundo dia dos sintomas - febre alta com muita tosse, secreção, indisposição, falta de vontade para comer ou qualquer dificuldade de respirar ou respiração acelerada. O médico vai fazer a avaliação e, no caso de influenza, é feito um exame rápido e a partir daí ele vai orientar o tratamento que atenua as complicações desta gripe.


É seguro passear ao ar livre com o bebê de 3 meses?


Temos que ser muito cuidadosos aqui. O passeio ao ar livre pode ser benéfico para as crianças, mas neste momento é muito importante que as famílias respeitem as orientações das autoridades locais e fiquem em casa.


Se houver a necessidade de sair com o bebê, cuide para mantê-lo em total segurança: mantenha a distância de pelo menos 2 metros entre vocês e as outras pessoas (se possível, até mais) e, se isso não for possível ou se tiver qualquer aglomeração na rua, volte para casa; use máscara (só você, não o bebê, ok?) e não toque em nada e não deixe o bebê tocar em nada durante a saída; se precisar tocar em alguma coisa, tenha álcool-gel com você para higienizar as mãos logo depois.


Ao voltar para casa, recomendo deixar os sapatos na entrada da casa ou do lado de fora, lavar bem as mãos com água e sabão, tirar a roupa e logo deixar na máquina ou no local em que irá ser lavada, tomar banho e trocar de roupa.


Vacina da gripe: é indicada?


Levar o filho para vacinar é uma situação de exceção em que a gente pode e deve sair de casa - com todos os cuidados que cito a seguir. As vacinas protegem a criança de doenças (como o sarampo, rubéola, catapora, entre outras) e isso é muito importante principalmente nesse momento. Então mantenha todas as vacinas do calendário e nas datas corretas, inclusive a da gripe.


Os postos de saúde e as clínicas de vacina estão tomando todos os cuidados para evitar aglomerações e manter o distanciamento social. Então aqui também vale as recomendações para a sua saída: manter a distância de pelo menos 2 metros entre vocês e as outras pessoas (se possível, até mais), não tocar em nada e não deixar a criança tocar em nada durante a saída, usar máscara (os adultos). Se precisar tocar em alguma coisa, tenha álcool-gel com você para higienizar as mãos logo depois. Ao voltar para casa, recomendo deixar os sapatos na entrada da casa ou do lado de fora, lavar bem as mãos com água e sabão, tirar a roupa e logo deixar na máquina ou no local em que será lavada, tomar banho e trocar de roupa.


Outra opção para quem tem acesso a clínicas privadas é que as vacinas podem ser feitas em casa por um profissional treinado, que vai usar máscara também.


Crianças precisam usar máscara para sair de casa?


O uso de máscaras não está indicado em crianças pequenas porque elas vão querer mexer, colocar a mão ou até ficar tirando a máscara e isso aumenta o risco de contaminação (claro, depende da maturidade da criança, talvez com 8 ou 10 anos ela já seja capaz de usar a máscara de forma mais adequada, que é sem colocar a mão e sem tirar do rosto). Então se você precisa sair de casa com uma criança pequena, use você a máscara e a criança não, sempre mantendo o distanciamento de pelo menos 2 metros entre vocês e as pessoas e não toque em nada, nem deixe a criança tocar em nada. Se precisar tocar em alguma coisa, tenha álcool-gel com você para higienizar as mãos logo depois.


Dar vitamina C e oscillocinum ajuda mesmo na imunidade ou não faz diferença?


A melhor vitamina C que existe é a das frutas. Para saber como e quanto oferecer para a criança é importante consultar o seu pediatra, e ele vai te orientar sobre a melhor forma de oferecer isso para o seu filho e assim cuidar da imunidade. Já o oscillocinum é um remédio homeopático e não tem nenhuma evidência científica de que ele possa funcionar nesse sentido, mas para quem gosta da homeopatia é uma possibilidade, sim.


As crianças agora trancadas sem sol e contato podem ficar com menos imunidade?


Sim, pode reduzir, mas se nós oferecermos atenção, carinho, boa alimentação, movimentação e luminosidade para as crianças esses efeitos são minimizados e elas ficam bem! Então invista no carinho e nestes cuidados agora que estamos em casa: vale aproveitar a luz do sol que entra pela janela, dançar juntos uma música que vocês gostam, experimentar outras brincadeiras que possam movimentar o corpo mesmo em espaços pequenos. Como a sua família tem tentado se divertir em casa?


Devo suplementar meus filhos com vitamina D (1 e 4 anos)?


A Vitamina D tem várias funções no organismo, ela pode ser um modulador da imunidade, é importante para o metabolismo ósseo e para uma série de processos metabólicos. Então especialmente neste momento, em que a gente não está tendo contato com a luz do sol, é importante fazer a suplementação. Mas para fazer isso é fundamental consultar o seu pediatra, ele é quem pode te orientar, ok?


Devemos nos preocupar com o peso dos pequenos se estiverem comendo mais neste período?


Se a criança estiver comendo mais, mas alimentos saudáveis, tudo bem. Então cuide para oferecer opções saudáveis nas refeições e nos lanches: arroz, feijão, legumes, saladas, frutas e pratos caseiros de todo tipo, simples ou sofisticados.


É importante reduzir ao máximo o consumo de alimentos que a ciência dá o nome de “ultraprocessados”: salgadinhos, iogurtes adoçados, pães de forma, biscoitos, chocolates, sorvetes, muitos congelados prontos, achocolatados… enfim, a maior parte do supermercado! A tentação é grande e não quero criar mais uma culpa na sua quarentena, é apenas uma sugestão: tente moderar e aproveite para aprender uma receita nova com alimentos frescos. E com atenção aos acidentes (fogo, líquidos quentes, facas…) esse momento pode virar uma brincadeira em família e os pequenos podem ajeitar a mesa ou mexer os ingredientes na tigela com a colher, por exemplo.


Meu filho só quer comer doce ou porcaria, como lidar?


Se você já está chamando as comidas ultraprocessadas - biscoitos, alimentos açucarados, salgadinhos, etc - de “porcaria”, é porque sabe que não faz bem, né? Eu costumo dizer que uma criança que come porcaria o dia inteiro é porque ela tem porcaria em casa. Então a melhor coisa que você pode fazer é não comprar a tal porcaria. Uma criança que não tem porcaria em casa não vai encontrar no armário, nem na geladeira, e assim fica mais fácil. Deixe a porcaria lá no supermercado, criança não pode ir no supermercado sozinha ;)


E quanto aos doces, permitir que as crianças comam doces acaba sendo quase natural na nossa cultura, porque vivemos em um mundo “doce”, onde quase todo mundo come aquela bala, ou aquele chocolate. Mas os alimentos com açúcar são nocivos à saúde e por isso é legal oferecer para a criança só depois de 2 anos e moderadamente. Isso significa oferecer em momentos de exceção, e certamente não no dia a dia e muito menos várias vezes ao dia. E aí quando for oferecer, tente evitar os ultraprocessados e prefira, por exemplo, um bolo caseiro com ingredientes mais saudáveis, quem sabe você prepara um junto com a criança?

É seguro pedir delivery? É possível se contaminar com a comida?


É importante que, ao chegar a comida na sua casa, você faça a lavagem das embalagens com água e sabão ou álcool-gel 70%, passe a comida imediatamente para pratos ou potes da casa antes de colocar na geladeira ou servir na mesa, jogue fora as embalagens e lave bem as mãos com água e sabão depois desse processo todo. Se você esquentar a comida no microondas ou na panela, ou se a comida tiver sido preparada no fogão ou forno aí na sua casa, é muito pouco provável que ela esteja contaminada. Então a chance é muito pequena, o importante é lavar a embalagem e reaquecer a comida antes de comer.


Cuidados com os pets que precisam passear e as crianças que convivem com eles?


É recomendável limpar as patinhas do animal ao voltar para casa, pode ser com água e sabão mesmo, e evitar que eles se sentem nas calçadas para não trazer a sujeira da rua para casa na barriga deles. Também é importante não deixar outras pessoas acariciarem ou tocarem o animal, porque a mão delas pode estar contaminada e passar para o pelo dele.


Este conteúdo tem fins informativos apenas e não substitui uma consulta pediátrica. Consulte sempre o seu médico e as atualizações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para orientações sobre Covid-19.


Sobre o Bloom

Somos um benefício corporativo que revoluciona a forma como empresas cuidam de mães e pais que trabalham. Por meio de uma plataforma de serviços digitais que apoia a jornada da parentalidade, promovemos a orientação personalizada às famílias e melhores práticas de gestão para empresas conscientes.


Conectamos mãe e pais a uma rede de pediatras, obstetras, doulas, nutricionistas, psicólogos, orientadores de carreira e outros profissionais. E apoiamos gestores a entender melhor como lidar com esse mundo novo que é uma família.


Quer Bloom na sua empresa? Então, vamos conversar: karen@canalbloom.com


empresas que cuidam